header

Notícias

  • 'Teatro no Cineport: Ator Vitor Correia encena “A Tabacaria”, poema metafísico de Fernando Pessoa'

    09 / 04 / 2014

    O Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa (Cineport) também tem teatro. O ator Vitor Correia (filho de Tavira) irá apresentar nesta quarta-feira, 09, a partir das 20h, nos jardins da Usina Cultural Energisa o poema “A Tabacaria”, de Álvaro de Campos, um dos mais famosos heterónimos de Fernando Pessoa.

    Para Correia, faz todo o sentido recitar o poema no Cineport, tendo em vista que se está num Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa e “não há mais universalidade do que Fernando Pessoa em Portugal e no mundo inteiro”.

    O ator encena o poema acompanhado de música, e para isto terá a ajuda do contrabaixo da banda Osso Vaidoso, Henrique Fernandes. “Nunca trabalhamos juntos”, conta, mas aposta na química e no poema de Pessoa. “É só necessário um microfone de lapela para apoiar a minha voz, para que a poesia não fique mal percebida, trata-se da palavra”.

    Correia fala com emoção do poema de Álvaro de Campos. “A Tabacaria é de uma beleza extraordinária. Esse poema no fundo é o Fernando Pessoa em seu quarto e é a confrontação dele para com ele. Se quisermos tirar alguma ilação desse poema, resumidamente, será a confrontação de nós para conosco próprios. Essa coisa da interrogação metafísica, da nossa própria existência. É um poema que podemos aprender muito, enquanto humanos. Ele nos faz crescer porque nos põe em causa, nós próprios... Essa coisa da existência humana e das interrogações que nos assolam a cabeça. As questões metafísicas de todos nós”, filosofa.

    O escritor italiano Antônio Tabucchi chamou já afirmou que “A Tabacaria” é “o poema mais importante do século XX”. Já o crítico literário Ricardo Zenith assevera que a grandeza de “A Tabacaria” pode ser difícil de quantificar, mas ele “é seguramente um dos mais admirados poemas de Fernando Pessoa e da língua portuguesa em geral. Isto é verdade pela inquietante universalidade. “Tabacaria” é sobre a nossa derrota individual e desilusão, mas também sobre o triunfo da imaginação e do sentimento humano. Este poema fala por nós todos. Ensina-nos quem somos”, explica.

    Trajetória de Vitor Correia – O ator Vitor Correia,que se autodenomina filho da cidade de Tavira, formou-se na escola de atores de Évora, mas especificamente no Centro Dramático de Évora, depois trabalhou em várias companhias no país. Ultima das quais os Artistas Unidos, em Lisboa, onde passou alguns anos da vida fazendo espetáculos sem parar. No cinema tem algumas participações, a últimas das quais com o diretor Rodrigo Areias, curador da Comitiva de Guimarães Capital Europeia da Cultura que está no Festival.

    “Daí minha presença aqui hoje, porque filmamos quando Guimarães foi a Capital da Cultura em 2012 e eu venho nessa perspectiva teatral”, revela.

    Hoje o ator vive em Tavira, região e sub-região do Algarve, depois de trabalhar muitos anos em Lisboa e no Porto por algumas companhias do país. No Algarve, mais especificamente em Tavira, criou uma companhia que se chama “Armação do Artista”, onde tem trabalhado dirigindo espetáculo, encenando e apresentando. “Enfim, faço o papel de direção artística da companhia”.

  • incentivo
  • patrocinio

    logo_patrocinio
  • Realização

    fojblogo
  • mincultura

    cineport na rede

    linhafooter