header

Notícias

  • 'Melhor curta Ficção, “Mulher.Mar”, conta história de mulher que ‘toma’ lugar do irmão que morreu'

    13 / 04 / 2014

    O filme “Mulher.Mar”, ganhador do prêmio de Melhor Ficção do Andorinha Curta, do Festival de Cinema de Língua Portuguesa (Cineport), conta a história de uma mulher que se veste de homem para tomar o lugar do irmão falecido. O curta será exibido neste domingo, a partir das 20h30, na Sessão dos Ganhadores, na Sala Vladimir Carvalho.

    “É um filme sobre silêncios. Maria está mergulhada em perdas e ausências. Decidiu tornar-se a única mulher pescadora de toda uma comunidade para tomar o lugar do irmão falecido. Maria transforma-se e vive como um homem. É uma viagem aos lugares da incerteza e da morte. Um filme sobre um ser humano que se abandona para compensar a ausência de quem já partiu”, é assim que os realizadores Filipe Pinto e Pedro Pinto, dois irmãos gêmeos, jornalistas portugueses, definem o longa.

    “Era um projeto pessoal de ambos. Há muito que queríamos contar as nossas histórias, depois de mais de uma década a contar as histórias dos outros”, justifica Filipe.

    Segundo o realizador, a ideia de fazer o filme surgiu a partir de uma notícia num jornal e foi idealizada num mestrado de realização de cinema. “Durante uma reportagem, ouvimos falar de uma mulher pescadora no norte de Portugal, supostamente a única naquela comunidade de pesca. Nunca encontramos essa jovem, se é que ela existe. A história nos ficou na cabeça e daí passou a viver por si própria. No fundo, a trama ficcional é o resultado da nossa procura para tentar adivinhar a razão para uma mulher se afirmar num meio masculino”, conta. 

    Abordar a identidade de gênero, segundo Filipe, acabou por ser a questão essencial no projeto, associada às consequências da perda. “A mulher.mar, no fundo, é uma história sobre o que a ausência pode provocar no ser humano, o que ela gera num limite de sofrimento. É um assunto que nos interessa muito e sobre o qual sempre quisemos refletir”, revela o realizador.

    Além do prêmio no Cineport, "Mulher.Mar" ganhou também o Festival Shortcutz Porto como a curta vencedora do mês de Novembro. Na  Competição "Curtas da Casa" do Festival Douro Film Harvest. O curta também ganhou o Grande Prémio da MIFEC n 9ª Mostra Internacional de Filmes de Escolas de Cinema, em Portugal.

    Confira abaixo entrevista com Filipe Pinto:

    Filipe Pinto (acima) e Pedro Pinto (na foto mais abaixo), realizadores do curta "Mulher.Mar".

    Quais as maiores dificuldades na realização?

    Filipe Pinto: As maiores dificuldades, ou melhor dizendo, as maiores exigências, surgiram antes mesmo do momento de rodagem. O trabalho de construção da personagem foi o maior desafio. A Teresa Andrade teve um enorme trabalho e, com muito empenho pessoal, acabou por responder por inteiro às complexidades que a personagem acabou por exigir. Houve um grande investimento na preparação de cada cena, que julgo ter dado frutos. 

    A realização também encontrou alguns desafios para tentar ser fiel ao quotidiano de uma comunidade pescadora concreta, a Afurada, zona de pesca do norte de Portugal. Houve um trabalho para tentar trazer para o filme esse modo de encarar o trabalho, as relações interpessoais e familiares dos habitantes daquela zona e até mesmo o modo como se expressam, sobretudo ao nível não verbal. 

    É o seu segundo trabalho, já tem outros projetos?

    Filipe Pinto: Os novos projetos estão cheios de vontade de ganhar forma. Há muitas ideias no papel. Esperemos que em breve possam ganhar vida. Queremos muito fazer um novo filme. 

    Como foi receber o prêmio do Cineport?

    Filipe Pinto: Receber esta distinção enche-nos de orgulho. Ser premiado num festival exclusivamente dedicado à língua portuguesa é uma conquista muito importante para nós. No momento de construção do filme procuramos sempre privilegiar uma certa noção de portugalidade. No fundo, trazer Portugal para dentro do filme. É fabuloso perceber que esta portugalidade pode ser apreciada entre aqueles que partilham a mesma língua. Obrigado Cineport! 

     

     

  • incentivo
  • patrocinio

    logo_patrocinio
  • Realização

    fojblogo
  • mincultura

    cineport na rede

    linhafooter