header

Notícias

  • '‘Uma Diva em JP’: Carminho vê influência brasileira em seu Fado e promete show clássico no Cineport'

    10 / 04 / 2014

    A cantora Carminho parece uma mulher frágil. Corpo magro, cabelos negros compridos, sorriso nem sempre fácil. Olhos expressivos e algo melancólicos, dramáticos até. Apesar da aparente fragilidade tem uma voz potente e uma presença de palco que arranca declarações emocionadas e entusiasmadas de quem a ouve. “Ouvi-la cantar Sabiá (na entrega do Prêmio da Música em 2013) com voz de quem mal atravessou o oceano para vir aqui nos ensinar tanto, foi de fazer chorar”, disse Caetano Veloso.

    A cantora Carminho parece uma mulher frágil. Corpo magro, cabelos negros compridos, sorriso nem sempre fácil. Olhos expressivos e algo melancólicos, dramáticos até. Apesar da aparente fragilidade tem uma voz potente e uma presença de palco que arranca declarações emocionadas e entusiasmadas de quem a ouve. “Ouvi-la cantar a música Sabiá (na entrega do Prêmio da Música em 2013) com voz de quem mal atravessou o oceano para vir aqui nos ensinar tanto, foi de fazer chorar”, disse Caetano Veloso.

    Nascida Maria do Carmo de Carvalho Rebelo de Andrade, mas conhecida como Carminho, ela é uma fadista portuguesa, de 29 anos, nasceu sobre o signo de Leão, numa família de músicos, sendo a sua mãe, Teresa Siqueira, e o seu irmão, Francisco Andrade, também cantores. Carminho está em João Pessoa nesta quinta-feira, 10, para um show no Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa (Cineport).

    Show Clássico - A apresentação terá músicas de grandes compositores clássicos brasileiros e portugueses, de fadistas clássicos, no seu repertório. “Compositores que já foram interpretados por grandes artistas. Isto vai estar tudo presente, vai estar presente toda a minha viagem desde que eu comecei até o dia de hoje”, revela. No Brasil a cantora já cantou com Chico Buarque, Milton Nascimento e Nana Caymmi, no seu álbum: Alma.

     “Eu vou cantar fado tradicional, é aquilo que é a minha paixão, é aquilo que me conduz, mas há sempre uma influência... Este Festival também fala disso, fala das influências que uma mesma língua pode ter em diferentes culturas. Temos uma mesma língua, mas temos diferentes culturas e elas acabam por se interligar porque a língua é muito forte e conduz tudo”, argumenta.

    A fadista explicou que todos os shows são diferentes porque são para públicos diferentes. “São sempre novos os concertos, sobretudo aquilo que eu faço, eu canto Fado. São sempre diferentes, consoante o público e a energia que está à volta do evento em si”, avalia.

    Carminho diz que se sente bem no Brasil e considera que o país lhe tem dado grandes alegrias. “Eu tenho sido inspirada e influenciada pelas minhas vindas aqui ao Brasil, não só pelas parcerias que tenho feito com, graças a Deus, grandes artistas do panorama cultural brasileiro, como também os shows que tenho feito no Rio e São Paulo”, revelou.

    Diva do Fado - Considera uma Diva do Fado por sua forma esguia e sempre elegante no palco e sua voz dramática, Caminho é muitas vezes apontada como uma cantora que tem resgatado a força do Fado fora e dentro de Portugal. No entanto, ela nega que queira dar uma nova roupagem ao estilo.

    “A roupagem não cabe a mim classificá-la, porque não é uma coisa intencional mudar alguma coisa no Fado, simplesmente vou seguindo a minha intuição, os meus gostos, aquilo que eu realmente gosto de fazer. E por exemplo, esta influência do Brasil dependeu do meu gosto pela cultura brasileira. Por eu gostar tanto eu aproximei-me dela. O Fado não tem a ver com música brasileira, aparentemente, e eu descobri semelhanças pela minha forma de sentir e interpretar o fado, pela minha forma de ouvir MPB e o samba e a música popular. Portanto, fui eu que acabei por sentir esse link e por achar que fazia sentido cantar (música brasileira) porque a mesma força que eu gosto de dar nas interpretações no fado, eu senti em muitas das interpretações (das músicas e cantoras) brasileiras.

    Em João Pessoa - A cantora conhecia o nordeste, já cantou em Natal, Recife e foi ao Pelourinho, na Bahia, mas é a primeira vez que vem à Paraíba. Gostou da cidade. “É uma cidade muito bonita, junto do mar, onde eu nunca tinha estado”.

    O show de Carminho será na Tenda Música a partir das 22h. Os ingressos para entrar no Espaço Cultural Energisa, onde acontece o Cineport, poderão ser retirados a partir das 16h e custam R$ 2,00.

     

  • incentivo
  • patrocinio

    logo_patrocinio
  • Realização

    fojblogo
  • mincultura

    cineport na rede

    linhafooter